Sustentabilidade na era da conectividade: como aplicá-la em projetos de construção?

Uma das etapas mais significativas em direção a edifícios sustentáveis envolve a redução do preço ambiental do cabeamento.
Início " Blog " Infraestrutura e data center " Sustentabilidade na era da conectividade: como aplicá-la em projetos de construção?
Conteúdo

Uma das tendências mais proeminentes no desenvolvimento urbano é a promoção de edifícios que minimizem seu impacto sobre o meio ambiente. Essa abordagem envolve a adoção de práticas e tecnologias sustentáveis no planejamento urbano e na construção de edifícios e infraestrutura, com o objetivo de conservar os recursos naturais, reduzir as emissões de gases de efeito estufa e melhorar a qualidade de vida dos moradores urbanos. Essa tendência reflete o compromisso crescente, tanto em nível governamental quanto organizacional, com a sustentabilidade e a proteção ambiental. 

O Objetivo 9 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas, acordado em setembro de 2015 pelos líderes mundiais como parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, visa "construir infraestrutura resiliente, promover a industrialização sustentável e fomentar a inovação". Seu primeiro objetivo é: "Modernizar a infraestrutura e remodelar os setores para torná-los sustentáveis, usando os recursos de forma mais eficiente e promovendo a adoção de tecnologias e processos industriais limpos e ambientalmente corretos." 

O foco em edifícios com eficiência energética contribui para o cumprimento dessa meta, bem como do ODS 11, que visa "tornar as cidades mais inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis".  

Quais são as principais características de um edifício sustentável? 

  1. Eficiência energética: significa usar tecnologias e projetos que minimizem o consumo de energia, como sistemas eficientes de iluminação e ar condicionado, para minimizar a pegada de carbono do edifício. 
  1. Uso de energia renovável: envolve a incorporação de fontes de energia limpa e renovável, como painéis solares ou turbinas eólicas, para gerar eletricidade de forma sustentável e reduzir a dependência de combustíveis fósseis. 
  1. Materiais sustentáveis: use materiais de construção que minimizem a degradação dos recursos naturais e reduzam o impacto ambiental. 
  1. Projeto passivo: é o projeto de estruturas e espaços cujo condicionamento ambiental utiliza procedimentos naturais. Ou seja, ele faz uso máximo da luz natural, da ventilação cruzada e da orientação adequada para reduzir a necessidade de iluminação e aquecimento artificiais. 
  1. Gerenciamento de água: inclui sistemas de coleta e reutilização de água da chuva, bem como tecnologias de baixo consumo de água em banheiros e cozinhas, a fim de conservar esse recurso vital. 
  1. Qualidade do ar interno: refere-se à implementação de sistemas de ventilação de alta eficiência e ao uso de materiais de construção não tóxicos para melhorar a qualidade do ar interno e promover a saúde dos ocupantes. 

Quando um edifício atende às qualidades necessárias para ser considerado sustentável, ele pode receber a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design). 

Essa certificação foi desenvolvida pelo US Sustainable Building Council em 1993 e atesta que um edifício foi desenvolvido de acordo com critérios de ecoeficiência e atende aos padrões necessários para ser considerado um edifício sustentável. 

Redução do impacto ambiental do cabeamento 

Os cabos são elementos onipresentes e essenciais em todos os setores industriais. Eles desempenham um papel crucial na transmissão de comunicações e energia, conectando diferentes áreas das instalações e interligando máquinas. Essa onipresença tem um preço ambiental, pois esses cabos acabam se tornando resíduos industriais. 

Esses elementos geralmente têm um núcleo condutor, responsável pela transmissão de eletricidade e informações, muitas vezes feito de materiais valiosos, como cobre, alumínio e outros metais, que, se reciclados adequadamente, podem reduzir a necessidade de exploração de recursos naturais. A reciclagem de cabos elétricos também ajuda a minimizar a pegada de carbono, pois a produção de novos cabos a partir de matérias-primas virgens envolve uma alta demanda de energia. 

As soluções ecológicas da Furukawa, uma empresa japonesa com 139 anos de experiência no campo da tecnologia, são um excelente exemplo de como esses desafios ambientais podem ser enfrentados. Essas soluções se concentram na proteção da vida e na redução do impacto ambiental. 

São cabos Cat 6 e Cat 6A e patch cords feitos de polietileno verde e soluções Laserway (GPON) para redes ópticas. Ambas as soluções ajudam a reduzir o consumo de plástico, energia e espaço. Os benefícios são concretos: economia de energia de até 70%, redução de 87% no consumo de plástico e a capacidade de ser totalmente reciclável. 

Outra vantagem das soluções Green inclui o uso de materiais LSZH-3 (Low Smoke Zero Halogen), especialmente desenvolvidos para minimizar os riscos em caso de incêndio, o que significa menos fumaça e zero emissões de gases tóxicos. Isso não apenas reduz os danos à saúde em caso de incêndio, mas também contribui para o potencial de pontuação do LEED em categorias como energia, atmosfera e inovação. 

Desde 2007, a Furukawa adotou a filosofia Mottainai, que destaca seu compromisso com o meio ambiente. A Mottainai incorpora conceitos como reduzir, reutilizar, reciclar, reparar e repensar. Nesse contexto, a Furukawa está trabalhando para desenvolver novas soluções que atendam às demandas ambientais atuais e futuras, além de assumir a responsabilidade pelo gerenciamento adequado dos cabos que completaram seu ciclo de vida. Com seu programa Green IT, a empresa visa facilitar o processo de descarte e substituição de cabos de cobre de gerações mais antigas por produtos mais sustentáveis. 

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Entradas relacionadas

inteligência artificial

Inteligência artificial generativa nos negócios

Cada vez mais empresas estão incorporando aplicativos de IA generativa em suas operações. Como os funcionários percebem o impacto dessas ferramentas, o quanto estão familiarizados com elas e se há diferenças no uso entre perfis técnicos e não técnicos?

Veja mais "