Estacionamento inteligente: a solução para o problema de encontrar um lugar de estacionamento?

Início " Blog " Telcos " Estacionamento inteligente: a solução para o problema de encontrar um lugar de estacionamento?
Conteúdo

A humanidade sempre se esforçou para o constante aperfeiçoamento de cada uma de suas invenções. Mas é um fenômeno muito recente, talvez das duas últimas décadas, a obsessão de tornar as coisas "inteligentes". Inteligência, um atributo que até a invenção do computador ninguém disputava como exclusivo dos seres vivos (Penrose, 1989), agora governa o mundo da tecnologia. Ao longo dos anos, vimos como telefones, televisores, relógios, luzes, interruptores (a lista continua e continua) se tornaram inteligentes.

Embora tenha sido um longo tempo, talvez seja hora de acrescentarmos inteligência à experiência de estacionamento.

Um esclarecimento: quando falamos de estacionamento, estamos nos referindo ao estacionamento na via pública e não em um estacionamento particular (seja de uso geral ou, por exemplo, em um shopping center). Ao contrário dos outros, este tipo de estacionamento apresenta várias dificuldades extras, já que não temos um ambiente controlado, e com isto entra em jogo todo um novo conjunto de variáveis.

O problema

Você não precisa investir muito dinheiro em estudos e pesquisas para confirmar o que já suspeitamos: todos odeiam não encontrar um lugar de estacionamento. Assim como suas conseqüências, como a perda de tempo, gás e paciência, circundando o bloco, giram o pescoço freneticamente e arriscando suas vidas ao contrário quando vêem que passaram por um ponto vazio.

Infelizmente, no Uruguai não temos pesquisas deste tipo (pelo menos não acessíveis ao público), mas existem vários estudos que nos informam sobre longos tempos de busca e uma alta porcentagem do tráfego causado pela procura de onde estacionar (Hampshire & Shoup, 2019) (Shoup, 2007) (Zhu, 2022).

Os estudos falam de cidades que são muito diferentes em muitos aspectos, portanto só podemos usar as informações como referência e estimar que não somos estranhos a esta situação. Seria mais do que interessante fazer pesquisas sobre estas questões no Uruguai.

Estacionamento inteligente: a solução?

Dados os grandes problemas que afligem o usuário e a cidade, é claro que o estacionamento inteligente deve ter como objetivo evitar a condução desnecessária em busca de um lugar de estacionamento. Portanto, precisamos saber onde vamos estacionar antes de chegarmos ao nosso destino. Algo muito simples de se dizer, mas difícil de se conseguir.

Então, quais são as soluções?

A vaga de estacionamento

A vaga de estacionamento deve informar algo tão simples quanto fundamental: se ela é gratuita ou não. Esta é a pedra angular: devemos fornecer ao sistema a capacidade de informar seu status de ocupação.

Para isso, diferenciamos entre duas abordagens principais. Em primeiro lugar, a detecção de vagas de estacionamento por análise de vídeo; em crioulo, colocamos câmeras cujas imagens são analisadas por software para determinar se uma vaga de estacionamento está ocupada ou não.

Há alguns problemas com este sistema, mas o problema principal está no software de detecção. O que pode ser muito simples para o olho humano ainda é, em muitos casos, impossível para um computador. O que os especialistas chamam de "oclusões de imagem" é uma das dificuldades que leva a baixas taxas de sucesso na detecção (Bulan, 2013). Também os custos de instalação de câmeras, obras civis, links de alto tráfego, software de detecção, entre outros, tornam esta alternativa ainda muito cara de ser implementada.

Em segundo lugar, a instalação de sensores por vaga de estacionamento, que geralmente consiste de sensores ultra-sônicos e de campo magnético. Nesses casos, ao contrário da detecção por câmera, o ambiente é altamente controlado e as taxas de detecção estão em torno de 99%.

Por este motivo, esta última opção surgiu como a mais promissora (BOSCH, n.d.).

O usuário

Agora que sabemos como identificar lugares, podemos nos perguntar: como saber quais são os lugares disponíveis?

Há muitas possibilidades para apresentar e trabalhar com estas informações. Estão aparecendo aplicações em todo o mundo que integram tudo: estacionamento assistido, com um aplicativo que mostra as vagas disponíveis em tempo real e guia o motorista via GPS até seu local. Uma vez lá, o sensor identifica seu telefone celular (via BLE ou RFID) e lhe permite pagar no aplicativo. Então, quando ele deixa o local, o sensor informa sua saída e se comunica com o sistema de pagamento.

Com este sistema, pagamos apenas os minutos exatos que estacionamos. Este é um sistema extremamente abrangente, do qual já existem pilotos em cidades como Harrogate (UK) (Harrogate, n.d.).

Em outros casos, o usuário só recebe informações (via app ou sinalização) sobre a disponibilidade de lugares em diferentes áreas.

A cidade

Não são apenas os usuários que podem usufruir dos benefícios desses sistemas. Além das vantagens mencionadas no início, muitos municípios do mundo utilizam estas plataformas para obter informações sobre o funcionamento da cidade.

Há alguns anos, o projeto SF Park (SF-Park, n.d.) instalou 8100 sensores na cidade de São Francisco (EUA). Com um forte foco acadêmico, a ênfase foi no uso do estacionamento a preço como uma ferramenta de planejamento urbano, com excelentes resultados. Entre elas, a aceleração da rotatividade nas áreas comerciais, uma melhor distribuição das vagas de estacionamento, o ajuste das tarifas, menos evasão e uma diminuição da quantidade de CO2 liberada, entre outras.

Tecnologias do futuro

Curiosamente, muitos desses sensores baseiam seus sistemas de comunicação em novas tecnologias. Você pode estar cansado de ouvir cerca de 5G, IoT, NB, Cat-M, LPWAN, LoRa, Sigfox, DASH7, Wize, MIoTy, UltraNarrowBand, entre outras siglas.

Estes sensores, que no futuro veremos às dezenas em nossas ruas, são apoiados por estas novas tecnologias, que permitem que sejam instalados com pouca infra-estrutura. Isto resolve as limitações de custo que tínhamos anos atrás.

O que está acontecendo no Uruguai com o estacionamento inteligente?

No momento, não temos nenhuma implantação deste tipo em nosso país. Em Isbel realizamos alguns pilotos e inclusive temos nosso próprio sistema de sensores em nossas instalações.

Com o tempo, esperamos começar a ver alguns estacionamentos inteligentes na cidade, seja por iniciativa estatal ou privada.

Este tipo de sistema pode contribuir não apenas para o problema do estacionamento geral, mas também para o controle das vagas de estacionamento em geral, seja para os deficientes, áreas restritas, como embaixadas ou ministérios. Assim como os cais de carga e descarga.

Uma estrada à frente

Este uso destes sistemas está apenas começando, e ainda há um longo caminho a percorrer. Mas as bases da tecnologia estão estabelecidas e está na hora de começarmos a aproveitá-las.

Muitas pessoas sonham em não ter que passar minutos procurando por um lugar de estacionamento.

Referências

BOSCH (n.d.). Dispositivos BOSCH SmartParking. Obtido em https://www.bosch-connectivity.com/products/connected-mobility/parking-lot-sensor/

Bulan, O. (2013). Sistema de detecção de ocupação de estacionamento nas ruas em tempo real baseado em vídeo. Journal of Electronic Imaging.

Hampshire, R. C., & Shoup, D. (2019, julho). Qual é a quota de tráfego para estacionamento? Journal of Transport Economics and Policy, 52, 184-201.

Harrogate, C. (n.d.). Conselho Harrogate. Obtido em https://www.harrogate.gov.uk/appy

Penrose, R. (1989). A nova mente do imperador.

SF-Park (n.d.). Obtido em https://www.sfmta.com/projects/sfpark-pilot-program

Shoup, D. (2007). Cruzeiros para Estacionamento. ACESSO, 16-22.


Por:

José Luis Nunes, Especialista em Engenharia de Telco & Cidades Inteligentes.

Joselo é engenheiro elétrico (Telecomunicações) da Universidad de la República. Há 6 anos ele vem trabalhando em Isbel na área de pós-venda e implementação de grandes projetos.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Entradas relacionadas